Domestic Scene Domestic Scene

Sabe quando rola sincronia de emoções e referências através da música? Pois é assim com o Jaime, do Warehouse songs and stories. Não resisti e roubei esse post pra colocar aqui. ♥

“The Radio Dept. = LOVE

2003, ano que Sofia Coppola lança o Lost In Translation recheado de trilhas nostálgicas Shoegaze e ano em que o Radio Dept. lança seu album de estréia, Lesser Matters. O que isso tem a ver? Sofia Coppola disse em diversas entrevistas na época sobre uma nova banda suéca que ela estava apaixonada.
2006, ela lança o Maria Antonietta e, fiél as suas palavras, coloca 3 músicas na trilha, dando ao lançamento do clássico Pet Grief um plus e, dentro do despretensionismo da banda, atingem um respeito grandioso no cenário mundial e inicam a nova geração do shoegaze/dreampop sintetizado.
É impossível lembrar de Radio Dept. e não relacionar ao clima bucólico do Lost In Translation ou do universo da solidão contemporânea.
Outro fato que me lembra com carinho a banda é que, em 2010, quando lançaram o Clinging, eu estava passando férias na casa dos meus pais ouvindo Domestic Scene pela décima vez em repeat, até que minha vó, Sra. Marianne, de 97 anos, entra no quarto e diz, “fio, que música mais linda!”. Respeito, né?
E só pra constar, na minha lista de melhores albuns de 2011, o Passive Aggressive constou simplesmente em primeiríssimo lugar”.

Após o sucesso do Crowdfunding, os suecos do The Radio Dept. se apresentaram ontem no Beco SP.

Adicionar novo comentário